domingo, 30 de novembro de 2008

em jeito de postal


Um lenço vintage que resolvi mostrar aproveitando para desejar, a todos os que me visitam, um Bom Natal e um óptimo Ano de 2009.

domingo, 23 de novembro de 2008

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Só mesmo vinda de uma criança...

Definição de Avó

Artigo redigido por uma menina de 8 anos e publicado no Jornal do Cartaxo.

'Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas. Nunca dizem 'Despacha-te!'. Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam historias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes. As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver Televisão'.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Poucas, mas sábias!






















Palavras

Felizmente há palavras para tudo. Felizmente que existem algumas que não se esquecerão de recomendar que quem dá deve dar com as duas mãos para que em nenhuma delas fique o que a outras deveria pertencer. Assim como a bondade não tem por que envergonhar de ser bondade, também a justiça não deverá esquecer-se de que é, acima de tudo, restituição, restituição de direitos. Todos eles, começando pelo direito elementar de viver dignamente. Se a mim me mandassem dispor por ordem de precedência a caridade, a justiça e a bondade, daria o primeiro lugar à bondade, o segundo à justiça e o terceiro à caridade. Porque a bondade, por si só, já dispensa a justiça e a caridade, porque a justiça justa já contém em si caridade suficiente. A caridade é o que resta quando não há bondade nem justiça.

Publicado em O Caderno de Saramago

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

E mais uma página se virou!


“Até o começo do século passado, um negro jamais se sentara à mesa de jantar da Casa Branca. Em 1901, o presidente Theodore Roosevelt convidou para a ceia o ex-escravo e então professor Booker T. Washington. Provocou uma onda de protestos de racistas indignados. Agora, o anfitrião pode vir a ser um negro – na verdade, metade branco e metade negro, mas, para os padrões americanos, inteiramente negro.”

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

a história de uma máquina

anúncio publicado em 1942 pela marca Singer




















placa que ainda se pode encontrar afixada nalgumas lojas mais antigas

A idéia de se costurar através de uma máquina surgiu no ano de 1760 e passou muito tempo despercebida. Inúmeros inventores desenvolveram projetos e patentearam novos modelos de máquinas de costura, porém nenhum deles era prático.

A construção da primeira máquina de costura Singer, há mais de 150 anos, representou o ponto de partida de uma evolução que proporcionou a todas as mulheres, em todos os pontos do globo, os meios para realizarem suas tarefas de costura de forma mais produtiva, reduzindo os custos e o tempo despendido na confecção de roupas.

No ano de 1850, o Sr. Isaac Merrit Singer (mecânico, ator e inventor) conheceu, na oficina do Sr. Orson Phelps, uma máquina de costura. Ao analisar cuidadosamente o seu funcionamento, sugeriu modificações que revolucionaram sua fabricação. Em onze dias, estava pronta a primeira máquina de costura realmente eficiente. Singer solicitou uma patente em 1851 e continuou a melhorar sua máquina até sua morte, em 1875, aos 63 anos.

Em 1851, o Sr. Isaac Singer fundou a SINGER, que inicialmente enfrentou sérios problemas para introduzir seu produto, pois o público não acreditava que a máquina funcionava corretamente. Mas, aos poucos, o produto foi ganhando credibilidade.

Visando facilitar a compra das máquinas, a Singer foi pioneira na introdução do sistema de vendas a prazo. A empresa cresceu no mercado mundial e o nome Singer se firmou como sinônimo de máquina de costura.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

sábado, 25 de outubro de 2008

o chão que pisamos





[Os estudiosos portugueses atribuem a D. Manuel, rei de Portugal por ocasião dos descobrimentos, a iniciativa de pavimentar o piso em volta da Torre de Belém com seixos rolados, chamados por lá de "calhaus" rolados, recolhidos às margens do Tejo, para homenagear Vasco da Gama.
Depois do terramoto que dizimou Lisboa em 1755, muitas casas lisboetas recorreram aos seixos para desenhar estrelas na calçada como talismã contra os tremores da terra.
A chamada "pedra portuguesa", conforme a conhecemos, em calcita branca e basalto negro, foi empregada pela primeira vez em Lisboa no ano de 1842, por presidiários, então chamados "grilhetas". A iniciativa partiu do Governador de Armas do Castelo de S. Jorge, Tenente-general Eusébio Cândido Furtado. O desenho foi uma aplicação simples, tipo zig-zag. Para a época foi uma obra de certa forma insólita que motivou versos satíricos dos cronistas portugueses e levou o escritor Almeida Garrett a mencioná-la no romance O Arco de Sant’Ana.
O sucesso foi tanto que proporcionou ao Tenente-general novas verbas para pavimentar toda a área do Rossio - seguramente a região mais conhecida, mais central de Lisboa - numa extensão de 8.712 metros quadrados. Logo, a pavimentação massiva espalhou-se por toda a cidade e pelo país.]

As fotos (de Reizen)e texto foram retirados do Google.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

o eterno xadrez


Dizem que se usa outra vez!
Eu não sei, para mim isso não tem qualquer importância, só sei que gosto! Habituei-me a ele desde que conheço as formas e as cores. Este padrão, presente nas toalhas de piquenique, nas malas, nos chapéus, nos casacos por dentro ou por fora, nos cobertores e nas caixas, é-me familiar desde sempre!
Pensando bem, neste inverno, o meu casaco de xadrez, com alguns aninhos, vai sair de novo do armário e entrar naturalmente em cena, mais uma vez. TPC

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Todos diferentes, todos bonitos!

Moleskine - agenda Beijing










Moleskine - caderno










Moleskine - album

Moleskine, para que te queremos ?

Para escrever, desenhar ou mesmo pintar, o caderno dos artistas, escritores, viajantes e não só, o Moleskine aí está para todos os gostos, com modelos cada vez mais inovadores, em vários tamanhos e cores, pautados, lisos ou quadriculados.
(imagem retirada da weeb)

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Publicidade Vintage...

enganosa ou não, hoje as "verdades" são outras



domingo, 12 de outubro de 2008

coisas doutros tempos

quiosque bem conservado e a funcionar num jardim público do Seixal

maqueta da antiga estação dos caminhos de ferro do Seixal no mesmo jardim

anúncio em azulejo afixado numa parede de um edifício antigo

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Civilizados ... mas pouco!


Cuspir para o chão não acontece só entre nós e são exemplo disso a China (já a tomar medidas) e muitos outros países.
Com tanta pretensão a que nos considerem um povo civilizado, como é que ainda não conseguimos combater este velho hábito, anti-higiénico, repugnante e boçal, a que assisto todos os dias, a começar logo pela manhã, protagonizado indiferentemente por homens e mulheres.
Há 30 anos atrás, em Paris, fiquei chocada quando vi afixadas placas (nalguns edifícios públicos) onde se lia "não cuspir para o chão".
Não é bonito ter que fazer esse tipo de recomendação mas hoje percebo que faz todo o sentido!
Para bem da saúde publica e por todas as razões e mais algumas, venham as proibições, as multas e mais educação cívica.TCP

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Maracujá-Banana


















Provei, gostei e guardei um exemplar deste fruto para tentar a sua reprodução no meu "jardim suspenso", num vaso é claro!
Apesar de ter o aspecto de uma banana, o seu sabor assemelha-se ao do maracujá, mas menos ácido.
Para satisfazer a curiosidade de quem, tal como eu, só agora passou a conhecer esta variedade de maracujá, junto alguma informação que retirei da web. TCP

"O Maracujá-Banana (Passiflora mollissima) é originário das zonas de altitude da Venezuela à Bolívia, podendo aparecer a altitudes de 3000 a 4000 m nas regiões andinas em condições ecológicas que outras espécies não têm condições de sobreviver.
Passiflora mollissima é uma planta trepadeira, considerada por muitos, uma verdadeira praga.
Apesar de ter frutos saborosos, invade territórios que não lhes pertencem. Algumas partes da Floresta Laurissilva são literalmente atacadas por esta espécie invasora originária da América do Sul.
As suas flores são grandes e têm uma coloração agradável – as cores rosa, rosa claro e branco fundem-se numa harmonia perfeita – possuem uma espécie de coroa no centro, estão penduradas e são solitárias. As suas folhas verdes têm um brilho que torna a planta ainda mais fotogénica.
O seu fruto é chamado Maracujá-Banana por ter a forma de uma banana. Depois de maduro adquire uma cor amarelada, mas enquanto isso não acontece, o verde é a cor predominante."

domingo, 28 de setembro de 2008

E ele aí está, desde do dia 22!



As folhas caídas e a cores das árvores não enganam! Mas chegou tímido, este Outono, com temperaturas amenas ainda a lembrar o Verão, talvez para nos compensar de alguma chuva que caiu e de algumas noites frias e de algum vento que se fizeram sentir durante os meses de Julho e Agosto. TCP

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Mãe desnecessária






















"A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo".
Varias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase e ela sempre me
soou estranha.
Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer
colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas
e perigos.
Uma batalha interna hercúlea, confesso.
Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todos
temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara.
Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.
Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar que significa isso.
Ser 'desnecessária' é não deixar que o amor incondicional de mãe que sempre existirá, provoque vício e dependência dos filhos, como uma droga ao ponto de
eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes.
Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas
frustações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical, como bem resumiu a psicóloga e educadora Lidia Aratangy no artigo "maternidade, liberdade, solidariedade". A cada nova fase, uma nova perda e um novo ganho, para os dois lados, pais e filhos.
*Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não para de
se transformar ao longo da vida.*
Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo.
O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.
Pai e Mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio
e a principal missão. Ao aprendermos a ser desnecessários, "nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar."

autora - Márcia Neder

(foto retirada da weeb com o título - "je t´aime" da autora - Anne-Marie )

sábado, 20 de setembro de 2008

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

a empresa amiga da família


Ao que parece, os incentivos à natalidade, oferecidos pela empresa IKEA aos seus trabalhadores, tem contribuído para o crescimento das famílias e para um ambiente de maior estabilidade.
Estão as empresas portuguesas preparadas para seguir o exemplo desta onde há lugar a boas práticas como: subsídios aos pais, prémios aos filhos, um mês de salário por cada nascimento e mais dois meses extra de licença de maternidade?
Afinal, pessoas felizes têm com certeza melhores condições para realizar um trabalho competente e com qualidade! TCP

(sobre artigo publicado na revista do JN no dia 23/08/08)

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Será que o ouro o fez mudar de ideias?


Se perante o fracasso não é bonito os atletas darem desculpas esfarrapadas, mudar de ideias de um dia para o outro também não parece nada bem!
A que se deve a reviravolta do sr. Presidente do Comité Olímpico?
Certamente, ao brilho da medalha de Nelson Évora! TCP

E o ouro chegou para Nelson Évora !


A recompensa merecida de um trabalho de anos e uma lição para muitos atletas, treinadores e dirigentes. TCP